.

Pesquisar

Capa da Edição Impressa

capa impressa edição 270

Eleições 2014

Se as eleições fossem hoje, em que você votaria para presidente da República?

SEDH lança campanha contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Sociedade - Cidadania
Escrito por Pedro Ivo Rodrigues   
Qua, 16 de Fevereiro de 2011 15:40

A SEDH - Secretaria de Diretos Humanos é o órgão responsável pelo Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. O Programa criado em 2002 mobiliza redes para integrar ações dos governos, organismos internacionais, universidades e sociedade civil, para que sejam desenvolvidas e aplicadas metodologias de intervenção local, capazes de desencadear respostas efetivas para a superação da violação dos direitos de crianças e adolescentes.

O Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes tem investido no apoio, na experimentação, na sistematização e na disseminação de práticas inovadoras de atendimento humanizado às vítimas. Um dos grandes avanços proporcionados pelo programa foi a criação do serviço Disque Denúncia Nacional, ou Disque 100, um canal de atendimento direto à população que recebe denúncias de violações aos direitos das crianças e adolescentes, e as encaminha para os serviços e redes de atendimento e proteção nos Estados e Municípios, além de prestar orientação ao usuário sobre os serviços disponíveis em cada localidade, constituindo-se, também, como importante produtor de indicadores acerca da problemática em si, assim como das realidades das redes de proteção do país.

É importante divulgar que o Disque 100 funciona diariamente das 8h às 22h, inclusive nos fins de semana e feriados. As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização, de acordo com a competência e as atribuições específicas, priorizando o Conselho Tutelar como porta de entrada, no prazo de 24 horas, mantendo em sigilo a identidade da pessoa denunciante. Pode ser acessado por meio dos seguintes canais:

* discagem direta e gratuita do número 100;

* envio de mensagem para o e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ;

* pornografia na internet através do portal www.disque100.gov.br

* ligação internacional. Fora do Brasil através do número +55 61 3212.8400

O compromisso com as campanhas de combate a exploração sexual de crianças e adolescentes é uma atividade permanente na Secretaria de Direitos Humanos desde 2005. Neste sentido, a SEDH pretende realizar uma campanha de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes a partir do período de Carnaval de 2011.

A campanha

Proteger as crianças e adolescentes é um dever de todos os brasileiros. Mas como conscientizar a população da importância da sua participação no enfrentamento à violência sexual sofrida pelas crianças e adolescentes no país? Como falar abertamente de um assunto tão delicado sem expor ainda mais as principais vítimas? Como romper a barreira da indiferença a um problema que está exposto, que todo mundo vê? Como fazer as pessoas voltarem a se importar?

Nesse contexto, optou-se por criar um símbolo forte e que possa ser replicado em todo o país como um ícone do enfrentamento à violência sexual. Um símbolo que dispense o uso de subterfúgios para abordar o assunto e que dê visibilidade ao tema, permitindo que a ação extrapole os limites de uma campanha publicitária e se torne um movimento com a participação de toda a sociedade.

A exemplo da Aids e o seu laço vermelho e do câncer de mama com o seu alvo azul, foi preciso encontrar um elemento que representasse a responsabilidade de toda a sociedade na promoção da segurança e bem-estar de crianças e adolescentes.

A campanha publicitária apresenta o ícone (a bola) em situações em que ele não pode ser ignorado, em que as pessoas não podem fingir que não o vêem. A presença dele na cena causa o mesmo estranhamento que queremos que as pessoas sintam ao se depararem com uma situação de violência. O comando do filme é de utilidade pública e incentiva as pessoas a denunciarem por meio do Disque 100.

Por que uma bola?

Porque é um objeto que fala com todos os públicos: homens, jovens, mulheres e crianças. Porque faz parte da vida das pessoas seja no esporte, no cotidiano, na memória da infância e juventude. Porque é um objeto que chama a atenção.

Nesse caso, a bola representa o enfrentamento à violência sexual contra a criança e o adolescente, ela torna tangível para a sociedade o conceito da campanha:

“Tem coisas que não dá pra você fingir que não vê”

A bola

Ela é amarela, cor que representa “Atenção!”, tem uma textura de bolas iguais com uma única bola diferente, que representa a sociedade em torno do problema. O problema é representado pela cor vermelha, que significa “alerta!”

Mobilização Social

A bola precisa ser abraçada pela sociedade, precisa ser tornar-se popular para que as pessoas despertem para a importância do tema. Violência sexual contra crianças e adolescentes é crime. É preciso que as pessoas se envolvam e denunciem a violência. É preciso envolvimento dos veículos de comunicação para fazer a bola crescer e conquistar o espaço para tornar-se um verdadeiro ícone, uma causa de verdade.

A idéia é ter uma bolas ao longo da revista, no editorial, que terminam num página dupla, conforme layouts anexos. Se não der, o anúncio funciona sem as bolas.

O problema é de todos nós e cada um fazendo a sua parte, juntos, unindo forças, venceremos mais essa injustiça que tanto faz mal para as nossas crianças e adolescentes.

Fonte: Andressa Ermel/Mídia Online/Propeg - Brasília

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar